Plágio em Trabalhos? Cuidado.



 Esta imagem representa  bem o que é um  plágio, copiar sem indicar a fonte. Puxa, sabemos que através de um bom texto lido podemos construir novos temas, conceitos e isso também é um produção.


Na gazeta do povo de 12/08 há uma matéria bem interessante em relação ao tema que retrata a preocupação das instituições de ensino quanto essa falta básica de conceito para se construir um texto ou um trabalho, na matéria fala-se inclusive dos softwares utilizados pelas instituições:
Combate intensificado
Softwares nacionais e estrangeiros são usados como aliados na hora de identificar o plágio. A maioria dos programas trabalha apontando níveis de “coincidência” com outros trabalhos já existentes. Confira alguns dos mais usados:
O programa é brasileiro e tem uma versão gratuita, que analisa parte do trabalho, e outra para assinantes, que faz a verificação completa.
Oferece uma pesquisa rápida e gratuita para trechos de um texto. Para buscas avançadas, é cobrada taxa que varia de US$ 1 a US$ 10, conforme o número de pesquisas a serem feitas.
Criado em 2003 por professores europeus, compara textos da internet e também faz busca entre os arquivos que já passaram por alguma verificação.
É o mais usado por universidades. Requer licença paga e identifica o trecho copiado e o endereço eletrônico do conteúdo original.
Desenvolvido por uma empresa norte-americana, o banco de inspeção conta com teses, livros, dissertações, revistas científicas, sites e também artigos de diversos gêneros, a maior parte em inglês.
Original e sem cópia
Confira algumas dicas para produzir um trabalho acadêmico livre de erros e plágio:
>>> Cuidado com a organização. Pesquisas não são feitas da noite para o dia e é preciso investimento de tempo e muito empenho para um resultado positivo. Então nada de deixar para a última hora.
>>> As punições para quem entrega trabalhos com erros, sejam plágio ou não, devem servir de exemplo a quem está produzindo. Perda de nota ou sindicância na universidade são fatores que prejudicam a carreira.
>>> As orientações dos professores devem ser aproveitadas para avançar na pesquisa. Procure sempre ter alguma evolução para mostrar nas reuniões. Assim, é mais fácil de cumprir o prazo e ter segurança na hora de finalizar a pesquisa.
>>> Toda citação de asserção, quando há um enunciado com julgamento de valor, indicação numérica ou histórica, precisa trazer a fonte de forma adequada. “O conhecimento é uma crença verdadeira” é uma frase muito usada de Platão, por exemplo. Qualquer fonte precisa ser apontada.
>>> A responsabilidade com a veracidade da pesquisa é do estudante, não do orientador. Embora os professores se preocupem com o plágio, pois isso pode afetar a imagem deles também, o foco maior do docente é no sentido acadêmico e científico.

Site: http://www.gazetadopovo.com.br/vida-universidade/nocampus/conteudo.phtml?tl=1&id=1279805&tit=Universidades-se-armam-contra-o-plagio 

Não é feio indicar a fonte, muitos dos blogueiros que hoje são fontes constantes de pesquisa solicitam que quando utilizados os seus dados indique a referência , além identificar o autor estimula a produção.

Referência
www.mauriciomunhoz.blogspot.com
http://www.gazetadopovo.com.br/vida-universidade/  
http://www.gazetadopovo.com.br/vida-universidade/nocampus/conteudo.phtml?tl=1&id=1279805&tit=Universidades-se-armam-contra-o-plagio
http://www.institutohipnologia.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=121:crime-de-plagio&catid=6&Itemid=18

Nenhum comentário:

Pesquisar este blog